Chegou a factura , acabou-se e a festa !

A crise do sistema capitalista que estamos a viver, sem fim á vista, sem alternativas viáveis,  (nem o comunismo que era o farol de alguns, a sua alternativa, colapsou, como se veio a verificar). No entanto, mesmo sem este farol, os seus antigos seguidores, utilizando as liberdades que negariam aos outros, se alguma vez  fossem poder,  tornaram-se por questões de ordem táctica, em partidos de protesto.

Quanto aos outros, os partidos democráticos, (PS, PSD, CDS), apoiantes confessos do sistema capitalista, estão hoje reféns da crise, que eles próprios geraram, principalmente  levando a cabo políticas, baseadas em despesas que a economia não compensava, acabando por hipotecar a Democracia. Estas políticas que têm sido prosseguidas nos últimos 30 anos, com o objectivo único de ganhar eleições e manter o poder, para se governarem e acrescentarem benesses às suas clientelas, conduziu-nos a esta situação de pré-bancarrota.

Prometendo tudo e mais alguma coisa, mas escusando-se a dizer e falar dos  custos. a falar verdade, navegaram à vista, até que - Eis que chega a factura e a festa terminou, e o resgate pelos credores aconteceu!

Já não pega chamar malandros, especuladores, àqueles, que lhes emprestaram dinheiro, ao longo destas ultimas décadas. Os sucessivos governos não foram competentes na utilização do dinheiro que receberam para relançar a economia e criar riqueza, pelo contrário, desbarataram dinheiro em obras desnecessárias, venderam sonhos, direitos e mais direitos, comprando votos e mais votos, desdenhando daqueles que oportunamente e constantemente lhes chamavam à atenção para a subida vertiginosa do défice externo e do aumento das despesas do estado que em 2009 era de 49% do PIB (para uma economia que na ultima década cresceu em média 0,7% do Produto interno Bruto). Isto é, consumimos mais do que produzimos. Ganhou a economia Alemã, e  a somar a isto, o estado endividou-se consecutivamente para nos vender sonhos, como se fosse possível viver como os nórdicos, pagar impostos como os alemães e ter uma produtividade marroquina.

O resultado está aí! Já estamos sentir os efeitos. Os juros são elevadíssimos para financiar a nossa economia e o estado, mas, o peso maior, vai cair  sobre as gerações vindouras! 

É preciso exigir responsabilidades! E nós, temos que para já, alterar os nossos hábitos de consumo, deixarmos de acreditar em facilidades e começarmos a ser cidadãos mais  exigentes! 

publicado por Barto lo meu às 23:52 | link do post | comentar